NOVE DICAS PARA ALUNOS CRISTÃOS EM SALAS DE AULA

Por Paul S. Taylor, da Eden Communications

Tradução de Avelar Guedes Junior

1. Antes de fazer uma apresentação em sala de aula ou um relatório sobre a criação de Deus, informe-se ao máximo sobre o criacionismo e os problemas envolvidos com o evolucionismo.

2. Em muitas escolas públicas há um forte sentimento contra a expressão de crenças religiosas cristãs em sala de aula. Os alunos têm mais liberdade que os professores neste aspecto. Todavia, na sala de aula, os alunos são mais prudentes quando limitam os seus comentários a fatos científicos, ao invés de tratar de informações bíblicas ou de crenças religiosas. Mesmo porque a própria ciência não é capaz de amparar o evolucionismo.

3. Não se surpreenda se não for bem tratado numa escola pública quando discutir sobre criacionismo. Fique preparado para lidar com tal tratamento com uma atitude cristã apropriada. É uma triste realidade que muitos professores e administradores são muito preconceituosos e ignorantes neste assunto – o que é compreensível – já que, na maior parte dos casos, toda a sua educação (do ensino fundamental até o superior) foi totalmente parcial nesta matéria.

4. Lembre-se de que os alunos se encontram sob a autoridade do professor, mesmo que estes sejam contrários ao cristianismo. Alunos cristãos têm a responsabilidade de respeitar a autoridade do seu professor e ser sempre corteses e respeitadores, mesmo se eles não concordarem sobre o assunto evolução.

5. Para uma melhor relação aluno professor, mantenha o bom humor nesta situação e seja objetivo. Fique “grudado” aos fatos. Uma atitude cristã deve ser de amor e sensibilidade para com todos, inclusive aos professores. Não recorra a discussões acaloradas ou ofensas verbais. Não menospreze a crença do professor. Faça comentários e perguntas de um modo sensível que despersonalize o assunto. É muito improvável que envergonhar o professor diante da sala traga os resultados desejados! As informações devem ser apresentadas com uma atitude de boa vontade e de sincero respeito. É mais fácil aos professores responderem favoravelmente a um aluno bom e estudioso que está simplesmente buscando respostas francas que a um aluno que parece hostil, despreparado, ou com ar de “sabe-tudo”.

6. Empreste ao seu professor um bom livro sobre o assunto, especialmente um que mantenha a objetividade cientifica. Vários livros críticos do evolucionismo escritos por evolucionistas também são de interesse. O uso destes evita fazer o assunto parecer uma guerra santa.

7. Lembre-se de que os professores, situações e salas de aula não são os mesmos. O que pode funcionar com um professor ou escola pode não dar certo com outros.

8. Tenha em mente que o principal propósito de um aluno ir à escola é aprender, e não testemunhar. Mas os alunos devem permanecer abertos à liderança do Espírito Santo. Há muitas histórias emocionantes de como alunos fizeram questionamentos ou deram informações que, no final, produziram grandes mudanças na vida dos professores.

9. A oração é o ingrediente mais importante nos feitos humanos. Certifique-se de que os esforços em sala de aula estão alicerçados em tempo gasto em oração. PAIS: Aproveitem esta oportunidade para orar com o seu filho pela sua carreira cristã, atitudes e fidelidade.